Norte de Minas é a primeira região a capacitar no Projeto ABC Cerrado no estado

* Por Assessoria de Comunicação SENAR MINAS

ABC_NorteMG

Os municípios de Montes Claros e Icaraí de Minas, no Norte de Minas, são os primeiros do estado a terem capacitações do Projeto ABC Cerrado, que visa à implantação de ações para reduzir os gases de efeito estufa no Brasil. As turmas são formadas por 30 produtores de leite e de gado de corte. Os três módulos do curso, com carga horária de 56 horas / aula, são ministrados pelo SENAR MINAS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), responsável pela capacitação de produtores e trabalhadores rurais.

Benefícios

O instrutor Eugênio Silveira explica que a recuperação das pastagens vai impactar no aumento da produtividade em até cinco vezes, ajudar na conservação do meio ambiente, evitando erosões e assoreamento dos rios, além de aumentar os lucros para os produtores. A falta de condições de produção provocou a diminuição do rebanho e também a queda na produção de leite em cerca de 50%.

Dentro das atividades do treinamento, os produtores participaram de aulas nos campos de pesquisa do Instituto de Agropecuária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde puderam observar in loco exemplos de pastagens degradas e o trabalho de recuperação.

O projeto

O ABC Cerrado atende quatro processos tecnológicos: Integração Lavoura, Pecuária e Floresta, Sistema de Plantio Direto, Florestas Plantadas e Recuperação de Pastagens Degradadas. No Norte de Minas os produtores serão capacitados especificamente na recuperação de pastagens degradadas, com a meta de estimular a sustentabilidade ambiental aliada à produtividade na atividade rural.

A iniciativa é do SENAR – Administração Central, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com patrocínio do Banco Mundial. O objetivo é capacitar para a atividade e dar assistência técnica gratuita para 400 produtores rurais nas regiões Norte de Minas, Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste.

Entre 1º de agosto e 1º de setembro estão previstas ainda 13 turmas de produtores nas cidades de Montes Claros e Curvelo (duas turmas em cada), Itamarandiba, Paraopeba, Sacramento, Uberlândia e Uberaba, Arinos, Unaí, Lontra e Leme do Prado.

Áreas degradadas

Segundo o estudo “Estado da Arte das Pastagens em Minas Gerais” do Instituto Antonio Ernesto de Salvo (INAES), ligado à FAEMG (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), o estado tem 45,3% de suas pastagens classificadas como “fortemente degradadas”. Especificamente no Norte de Minas, 55,8% de seus 3 milhões de hectares de pastagens se encontram nessas condições de degradação.

Para recuperação de um hectare destas pastagens, os produtores teriam que gastar cerca de R$ 1.700,00. O custo é alto para os parâmetros regionais, mas para os participantes do ABC Cerrado será menor, já que a assistência técnica é gratuita.

Assessoria de Comunicação SENAR MINAS
http://www.sistemafaemg.org.br/senar

Anúncios

SENAR Brasil será parceiro da FAO e do Mapa em projeto no bioma Amazônia

*Do SENAR Brasil

Abre

 

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) será parceiro de mais uma entidade internacional em uma iniciativa de agricultura sustentável. Dessa vez será a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, sigla em inglês) no Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas da Amazônia (Pradam), realizado em conjunto com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) também. A novidade foi apresentada durante uma videoconferência nesta quarta-feira (18/5).

O Pradam vai disseminar princípios e tecnologias de produção sustentável, bem como a capacitar técnicos multiplicadores, extensionistas e  produtores em seis estados: Amazônia, Acre, Rondônia, Maranhão, Pará e Mato Grosso. Para isso, serão organizados 10 eventos de sensibilização, oito seminários e dois dias de campo, além de um curso de capacitação para profissionais de assistência técnica e de extensão rural pública e privada que atuem no bioma amazônico.

Os seminários e dias de campo ocorrerão em municípios pré-definidos nos seis estados. O treinamento acontecerá na Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop (MT) e será dividido em dois módulos: um tecnológico, que será coordenado pela Embrapa, e outro metodológico e gerencial, baseado na metodologia do SENAR. A carga horária é de 160 horas/aula.

As metas são sensibilizar 1.000 pessoas – entre técnicos, produtores rurais, membros da administração pública e sociedade civil – e capacitar 60 técnicos do bioma amazônico. Quatro tecnologias serão contempladas: sistema plantio direto; florestas plantadas e sistemas agroflorestais; integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) e recuperação de pastagens. O encerramento do projeto está previsto para o dia 31 de agosto.

Matheus

“Para nós essa parceria é extremamente estratégica pois é a primeira carta de acordo que assinamos com a FAO. É muito importante a mobilização de todos os envolvidos e o cumprimento dos prazos para que possamos abrir portas e fechar novos convênios futuramente”, ressalta o coordenador nacional de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do SENAR, Matheus Ferreira.

O Mapa vai financiar o projeto e também será responsável pela intermediação com a Embrapa e pelo apoio através dos Comitês Gestores ABC. Para o representante da pasta no Pradam, Jefé Leão Ribeiro, a importância da iniciativa está em conscientizar o produtor de que é possível alcançar uma boa produtividade recuperando áreas degradadas.

“Utilizando as práticas adequadas, ele poderá avaliar que é mais negócio recuperar do que abrir novas áreas. Vamos levar essas tecnologias para que o produtor conhecendo, preserve a floresta em pé”, declara Ribeiro.

Jefé

As datas dos eventos ainda serão definidas em videoconferência, mas as localidades seguirão a lista abaixo:

Rio Branco (AC) – Seminário

Manaus (AM) – Dia de Campo

Gaúcha do Norte (MT) – Seminário

São Felix do Araguaia (MT) – Seminário

Confresa (MT) – Seminário

Porto dos Gaúchos (MT) – Seminário

Santa Inês (MA) – Seminário

Marabá (PA) – Seminário

Vilhena (RO) – Seminário

Porto Velho (RO) – Dia de Campo